Posts com a tag "hq"


Primavera antecipada: Samanta Flôor no FIQ 2015!

O presente dessa sexta é um super anúncio: a quadrinista Samanta Flôor vem ao FIQ 2015! Esse encontro acontece de 11 a 15 de novembro, na Serraria Souza Pinto, em BH - MG. O evento é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito.

Samanta Flôor é natural de Porto Alegre. Formada em Arquitetura, em Pelotas, voltou-se para a ilustração e nos últimos anos começou a aventurar-se pelos quadrinhos. Trabalha como ilustradora e cartunista freelancer principalmente para editoras e agências de publicidade. Também é instrutora de colorização no photoshop na Alfamídia.

Foi indicada ao HQMix em 2009 (categoria Webcomic) pelos “Toscomics” e neste ano pelo gibi "Click". Participa do terceiro livro de homenagem ao Mauricio de Sousa: “MSP Novos 50” e do MSP80 que será lançado este ano.

Em 2013 lançou o álbum “Toscomics“ pela Café Espacial e editora Marca de Fantasia. No mesmo ano houve uma exposição com desenhos do gibi em Beja, Portugal. Em 2014 lançou dois gibis independentes na Gibicon: “Click” e “Três”.

E o 2015 de Samanta tá cheio de lançamentos! A começar pelo seu segundo livrinho infantil: “O astronauta de pijama” pela editora Marsupial. Além disso, publica “O Guia culinário do Falido" pela Balão Editorial, juntamente com Felipe 5Horas, Leo Finocchi, Fernanda Chiella e Marília Bruno. Também participa de um livro em parceria com autores portugueses (lançamento previsto para o FIQ) e de um segundo livro de culinária com textos de Otávio Albuquerque.


Do espaço sideral para o FIQ 2015!

É um caminho sem volta: passamos de 50 convidados. E seguimos embalados e sem freio, hein?! Hoje, inclusive, já tem mais anúncio dos bons: o premiado Will no FIQ 2015! O evento, de 11 a 15 de novembro, é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito.

Will começou a publicar quadrinhos, em 2004, no zine “Subterrâneo”. Entre seus trabalhos estão: “O Louco, a Caixa e o Homem”, “2X10!” e “Homem-Grilo & Sideralman” #1. Tem histórias publicadas nas revistas: Front, JAM, Petisco Apresenta, Máquina Zero, Clássicos Revisitados em Quadrinhos vol. 2, Fulanos & Fulanas, Um Rock para Caçador, entre outras.

Não é à toa que é dono de quatro Troféus HQMIX (dois em 2007, 2012 e 2013). Participou dos projetos “MSP+50”, “Mônica’s” e “Ícones dos Quadrinhos”. Pela Editora Nemo, desenhou sete álbuns, entre eles: “Ciranda Coraci”, “O Senhor das Histórias”, a adaptação de “20.000 Léguas Submarinas”, “As Aventuras do Capitão Nemo - Profundezas”... e “ As Aventuras do Capitão Nemo - O Navio Fantasma”!

Nosso convidado é um dos criadores do coletivo Petisco, do qual faz parte. Lançou, recentemente, “Os Arquivos dos Casos de Demetrius Dante”. No momento, prepara o álbum “Uma Aventura de Verne & Mauá”.


ZiNaaaaaas!!!

Um coletivo (sensacional), formado por mulheres residentes em Belo Horizonte, que dialoga com movimentos feministas e cultura underground: esse é o ZiNas! E claro com certeza que TODAS elas são convidadas do FIQ 2015, né? Então, de 11 a 15 de novembro, na Serraria Souza Pinto (BH), vamos receber Aline Lemos, Ana Schirmer, Bianca, Carolita Cunha, Carol Rossetti, Day Lima e Priscapaes!

O evento é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito.

Formado em 2014, além de zines e quadrinhos, a produção do grupo inclui cartazes, gravuras e até ímãs de geladeira. As ZiNas participam de diversas feiras e exposições de publicações independentes, buscando fortalecer a atuação das mulheres nesse cenário. E elas têm um importante objetivo: conquistar maior visibilidade de trabalhos feitos por mulheres nas artes independentes.

A primeira publicação do coletivo se chama “Tranza” – um zine contra o sexo heternormativo, demonstrando diversas formas de amor, afim de desconstruir preconceitos impostos ao ato sexual. Já a segunda edição, com o título: “Aborto”, ilustra as complexas situações em que as mulheres são expostas devido à criminalização do aborto e por não ser tratado como uma questão de saúde pública.

É bom saber um pouquinho mais sobre as artistas, né?

Aline Lemos

Nasceu em Belo Horizonte, em 1989, e morou na cidade a maior parte da vida. Cursou licenciatura em História pelo interesse por ciências humanas, mas queria mesmo era fazer quadrinhos. Por dois anos pesquisou literatura de ficção científica e representações de gênero, conciliando seu mestrado em História com os estudos em Design Gráfico e Artes Plásticas. Atualmente se dedica, com amor aos quadrinhos, à atuação junto a coletivos de artistas mulheres e à publicação de zines independentes. Clique aqui para conhecer mais!

Ana Schirmer

Ana Schirmer é uma artista plástica/gráfica residente em Belo Horizonte, onde está se graduando pela Escola Guignard - UEMG. Foca sua produção em ilustrações sobre suas percepções como mulher e o seu lugar na sociedade. Atualmente, ministra um curso livre de aquarela, além de participar do ZiNas, claro. Clique aqui para conhecer mais!

Bianca

Fã de Mafalda e estudante de Artes Visuais, a quadrinista mineira Bianca desenha o que vê e o que escuta por aí, sob a perspectiva da personagem que criou: Anna Bolenna - A perturbada da corte. A protagonista dos desenhos é colocada nas mais diversas situações cotidianas e tenta traduzir pensamentos e experiências da própria autora. Bianca explora sentimentos que surgem no dia a dia de todo mundo, em especial das mulheres, como saudades e amor. Clique aqui para conhecer mais!

Carolita Cunha

Carolita Cunha é bacharel em artes plásticas pela Escola Guignard-Universidade do Estado de Minas Gerais. Em 2014, criou o selo "Editora XBPF- Xuranhas, Briokos e Pirokas Felizes" com publicações independentes do fanzine "Kaka Kú e Fudivaldo". Participou com uma publicação no fanzine “Amendoim”. Participou da 10ª Mostra de “Arte Erótica” com exposição de fanzines e ministrando oficinas de fanzines eróticos no Sesc Palladium, realizada pela Em 2015. Participou com uma publicação na revista “A Zica #4”. Atualmente faz o curso de Extensão "Quadrinhos, Linguagem e História", desenvolvido em parceria com a Gerência de Pesquisa e Extensão da Fundação Clóvis Salgado. Clique aqui para conhecer mais!

Carol Rossetti

Carol Rossetti decidiu ser ilustradora aos 4 anos, quando ganhou de seus pais uma caixa de lápis de cor. Mais tarde, resolveu que estudaria design gráfico, área na qual se graduou em 2011. Ela mora em Belo Horizonte e concilia seus projetos autorais de ilustração com o estúdio Café com Chocolate Design, projeto criado por ela e três amigos. Suas ilustrações já foram traduzidas para mais de 15 idiomas e divulgadas em veículos internacionais como CNN, Cosmopolitan e Huffington Post. Até hoje, ela adora ganhar cadernos e se delicia com as infinitas possibilidades de um papel em branco. Clique aqui para conhecer mais!

Day Lima

Dayanna Isis Gomes Lima é bacharel em Moda pelo Centro Universitário UNA e atualmente trabalhar como tatuadora e ilustradora utilizando o nome artístico “Day lima. Tem um grande apreço por HQs independentes e possui algumas publicações em pequenos formatos: “Entre” e “Identidade” (2014), além de histórias em quadrinhos publicadas em fanzines: “Erosphobia” #1 e #2 (2014), “Tranza” (2014) e “Aborto” (2015). Em 2011 começou a se interessar por ilustrações e, como tema principal para seu trabalho, ilustrou mulheres gordas, uma forma de representar essas mulheres na Moda, já que são quase inexistente para essa indústria. Clique aqui para conhecer mais!

Priscapaes

Priscapaes nasceu na cidade de Curitiba, mas adotou Belo Horizonte como a sua cidade natal. Com uma trajetória de mais de 10 anos, desenvolve vários tipos de intervenções urbanas como grafites, lambe-lambes e palavras tecidas em crochê aplicadas em locais públicos. Em maio de 2014, lançou sua primeira publicação independente, o zine “Erosphobia”, em parceria com a estilista Day Lima. Ainda em 2014, Priscapaes começou a publicar semanalmente em sua fanpage as tirinhas “Obviedades”, que retratam pequenas curiosidades presentes na vivência do dia a dia, mas que muitas vezes acabam sendo ignoradas. Também atua como educadora na ONG Corpo Cidadão, onde ensina artes visuais para crianças de 05 a 14 anos de escolas públicas de Belo Horizonte. Clique aqui para conhecer mais!

Página 1 de 6