Posts com a tag "festival internacional de quadrinhos"


 Quadrinista arretada!

Por aqui estamos contando os dias para o festival mais sensacional de todos os tempos! Apostamos que você também fica aí anotando assim “faltam menos de 90 dias!!! <3” (sim, com coração e tudo). E não temos dó de aumentar sua ansiedade. Quer ver? Mais um anúncio (e logo cedo): Mariá Raposa Branca, autora de “Ghilan”, vem ao FIQ 2015!

O evento, de 11 a 15 de novembro, é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito.

Ilustradora, animadora, artista de games e quadrinista, Mariá se criou na Bahia e na Bahia vive. Lançou as revistas “Ghilan” e “Zorro” no FIQ 2013. Participou da produção de diversos jogos lançados entre 2009 e 2015, sendo os mais recentes “Guardiões da Floresta - Gamebook” e “El Pescador”, de sua própria autoria. E vai trazer “Recaptura” para o FIQ 2015, quadrinho financiado de forma coletiva pelo Catarse. Clique aqui e conheça mais o trabalho dela!


 Leandro Damasceno confirma presença no FIQ 2015!

Nosso mais recente convidado gosta de se comunicar por meio das HQs. Leandro Damasceno faz quadrinhos desde 2000 e pretende lançar coisa nova no FIQ 2015! O evento, que acontece de 11 a 15 de novembro, na Serraria Souza Pinto, é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito.

Leandro nasceu em Formiga, no interior de Minas Gerias. Mudou-se para Belo Horizonte em meados da década de noventa, onde se formou em Publicidade e Propaganda pela PUC-Minas. É mestre em Comunicação Social, também pela PUC-MG.

Para a editora HQM, traduziu “Alice Através do Espelho” (de Kyle Baker) e “Moby Dick” (de Bill Sienkiewicz, esta ainda inédita e sem data de publicação).

Em 2013, lançou “Seria Melhor se fosse mais fácil”, durante o FIQ, de forma independente. Esse foi seu primeiro trabalho impresso fora do universo dos fanzines. No ano seguinte, 2014, participou da antologia “Cripta do Shogum”, organizada por Daniel Werneck.

Este ano entrou para equipe do site Terra Zero, onde escreve sobre cultura pop de forma geral, mas com olho voltado para os quadrinhos. Ainda em 2015 lança, durante o FIQ, a HQ inédita “Refém”, história baseada em um conto da autora Cíntia Moraes.


Do espaço sideral para o FIQ 2015!

É um caminho sem volta: passamos de 50 convidados. E seguimos embalados e sem freio, hein?! Hoje, inclusive, já tem mais anúncio dos bons: o premiado Will no FIQ 2015! O evento, de 11 a 15 de novembro, é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito.

Will começou a publicar quadrinhos, em 2004, no zine “Subterrâneo”. Entre seus trabalhos estão: “O Louco, a Caixa e o Homem”, “2X10!” e “Homem-Grilo & Sideralman” #1. Tem histórias publicadas nas revistas: Front, JAM, Petisco Apresenta, Máquina Zero, Clássicos Revisitados em Quadrinhos vol. 2, Fulanos & Fulanas, Um Rock para Caçador, entre outras.

Não é à toa que é dono de quatro Troféus HQMIX (dois em 2007, 2012 e 2013). Participou dos projetos “MSP+50”, “Mônica’s” e “Ícones dos Quadrinhos”. Pela Editora Nemo, desenhou sete álbuns, entre eles: “Ciranda Coraci”, “O Senhor das Histórias”, a adaptação de “20.000 Léguas Submarinas”, “As Aventuras do Capitão Nemo - Profundezas”... e “ As Aventuras do Capitão Nemo - O Navio Fantasma”!

Nosso convidado é um dos criadores do coletivo Petisco, do qual faz parte. Lançou, recentemente, “Os Arquivos dos Casos de Demetrius Dante”. No momento, prepara o álbum “Uma Aventura de Verne & Mauá”.

Página 1 de 9