FIQ 2015 tem o privilégio de homenagear Antônio Cedraz!


Laerte Coutinho, homenageado do FIQ!

Homenageado

Dono de uma carreira consolidada e de uma produção significativa, o quadrinista Antônio Cedraz recebe a merecida homenagem do FIQ, que mantem sua tradição na escolha de grandes artistas brasileiros. Ao longo dos seus mais de 40 anos de carreira, o pai da “Turma do Xaxado” viu seu trabalho reconhecido mundialmente. Suas tiras foram publicadas em dezenas de jornais e revistas do Brasil e de países como, Angola, Cuba e Portugal, dando a ele o título de um dos mestres das HQs.

A 9ª edição do Festival Internacional de Quadrinhos acontece de 11 a 15 de novembro, na Serraria Souza Pinto, em BH - MG. O evento é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito.

Antônio Luiz Ramos Cedraz é baiano de Miguel Calmon, nasceu em 1945 e morreu em 2014. Começou a desenhar aos 16 anos. Conciliando a carreira de desenhista com a profissão de bancário, Cedraz criou várias séries de histórias: “Lúbio”, “Zé Bola”, “Joinha”, “Ana”, “Pipoca”.

Mas seu maior sucesso foi a “Turma do Xaxado”, publicado por mais de 10 anos no Jornal A tarde e também em mais de 30 livros, com coletâneas das tiras e histórias inéditas. Essa foi sua principal criação, de grande riqueza cultural e criativa. O universo infantil da turma retrata os costumes e tradições do interior do nordeste. Nas histórias estão sempre presentes a cultura, folclore e as questões sociais da região.

Cedraz já recebeu seis prêmios HQMIX, a principal premiação dos quadrinhos brasileiros e foi consagrado com o título de Mestre do quadrinhos nacional, categoria do Prêmio Angelo Agostini, concedido pela Associação dos quadrinistas e caricaturistas de São Paulo, AQCSP.

Nosso homenageado desenvolveu sua carreira na Bahia, enfrentando dificuldades em trabalhar com quadrinhos fora do eixo Rio- São Paulo. Mas isto não o impediu de ter uma produção contínua e de qualidade.

Cedraz é um dos representantes de uma das mais criativas e importantes gerações de artistas gráficos do Brasil, onde também se destacam, Mauricio de Sousa, Ziraldo, Gedeone Malagola, Jayme Cortez, Flávio Colin e Julio Shimamoto.

O mestre esteve conosco no FIQ 2007, onde fizemos uma exposição da “Turma do Xaxado” e, em 2008, em outro evento da Fundação Municipal de Cultura, onde havia uma exposição do "Lendas e mistérios".

Em 2014 perdemos um grande artista, que sempre acreditou em seu sonho, em seu trabalho, e batalhou muito pelo quadrinho brasileiro. É um imenso privilégio para o FIQ homenagear um mestre como ele.