Categoria "Informações"


FIQ Jovem!

Festival Internacional de Quadrinhos terá atividades em 2016.


O FIQ Jovem é um curso gratuito de formação de quadrinistas. Os quadrinhos são uma forma de comunicação e de entretenimento. Mais do que ensinar a fazer quadrinhos,o objetivo do FIQ Jovem é desmistificar a produção de HQs e mostrar aos alunos como cada pessoa, com suas próprias vivências e influências, pode encontrar sua forma de contar histórias dentro desse meio. As aulas são formatadas para comportarem a apresentação, por parte dos professores, dos diversos conteúdos relacionados à produção de quadrinhos assim como uma discussão com os alunos sobre como suas experiencias pessoais e seus interesses conversam com esse conteúdo. O curso foca na produção de quadrinhos, sendo assim, metade da carga horária do curso é voltada para a produção em sala de aula. A turma é reduzida e cada aula é ministrada por dois professores para que os alunos possam ser atendidos individualmente.


O curso é voltado para pessoas que já tenham alguma relação com a criação de histórias em quadrinhos, mas que ainda não sejam profissionais da área. Temos como meta a criação, produção e finalização de uma hq completa durante o período do curso. Os alunos acompanharão e participarão de cada etapa desse processo, tornando-se assim capazes de avançarem em seus projetos de forma independente a partir de então.


O curso acontecerá de 11 de Junho a 10 de Dezembro de 2016, ao sábados, de 8h às 14h. Na segunda metade do curso, em momentos específicos de produção, algumas aulas terão duração de 8hs. Ao longo do curso serão feitos tembém 8 encontros com quadrinistas de todo o país para conversarem sobre seus processos com os alunos e com o público em geral. Esses encontros extras acontecerão uma vez por mês sempre às terças-feiras. O Curso acontecerá no CRJ - Centro de Referência da Juventude na Rua Rua Aarão Reis s/n - Centro, Belo Horizonte.


O corpo docente é formado por quadrinistas experientes e que atuam na área, tanto no mercado nacional quanto internacional, tendo publicado em diversos meios.



Condições para inscrição:


Ter no mínimo, obrigatoriamente, 14 anos. (na hora da matrícula será requisitada a presença dos pais para os menores de 18 anos)

Ter no máximo, preferencialmente, 25 anos.

Ser residente em Belo Horizonte ou Região Metropolitana

Ter disponibilidade para participação em pelo 70% das aulas.

Preencher corretamente o formulário de inscrição.


Serão oferecidas 25 vagas para o curso. Haverá um processo seletivo baseado nos portfólios e na relação dos interessados com os quadrinhos. Os selecionados serão informados por email até o dia 6 de junho.



Ficha de Inscrição: AQUI!


Auditório Mateus Gandara - Sobre dia 11 de novembro

O Auditório Mateus Gandara recebe bate-papos, debates e atividades interativas! Resolvemos descrever a programação bem explicadinha para você se preparar para o FIQ 2015! Hoje vamos te contar sobre o dia 11 de novembro, quarta-feira, no auditório. Lembrando que esse é um dos espaços do festival. Confira a programação completa clicando aqui!

O evento, de 11 a 15 de novembro, é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito. De 9h às 22h, na Serraria Souza Pinto, em BH - MG. Algumas atividades precisam de retirada antecipada de senha. Se informar na secretaria do evento.

11 de novembro - Quarta-feira

9h30 | Conversa em Quadrinhos com Ricardo Tokumoto | Mediação: Rebeca Prado

  • Ricardo Tokumoto, o Ryot, fala sobre seu trabalho com tiras e quadrinhos infantis, além de sua relação com os internautas.

14h | Conversa em Quadrinhos com Luís Felipe Garrocho | Mediação: Samuel Medina

  • Luís Felipe Garrocho, o Gomba, conversa sobre fazer tiras, quadrinhos e sobre a construção de uma comunidade de fãs mais saudável.

16h | Abertura oficial


18h | Por que você faz quadrinhos? | Com Artur Fujita, Thaïs Gualberto e Vitor Cafaggi | Mediação: Janaína de Luna Larsen

  • Os quadrinistas conversam sobre suas motivações, dificuldade e, principalmente, o que os mantém fazendo hqs.

20h30 | Desafios da curadoria | Ana Koehler e Daniel Wernëck | Mediação: Afonso Andrade

  • Os curadores do FIQ 2015 contam como é fazer a curadoria do FIQ, além das alterações que o evento teve em relação a outras edições. Ou seja: conta como desenharam essa edição. Ah! Também escutam opiniões e sugestões dos participantes.

Laboratório do FIQ

Hoje fechamos o anúncio das exposições com chave de ouro! A “Ciência dos super-heróis”, por meio de pesquisas, repensa alguns heróis icônicos à luz de conceitos científicos atuais. E, para colocar essa ideia no festival, o FIQ 2015 reuniu uma super equipe de desenhistas, coloristas e cientistas que, juntos, reinterpretaram e criaram novas versões dos personagens.

Ou seja: “Flash”, “Homem Aranha”, “Homem de Ferro”, “Hulk”, e “Mulher invisível”, de um jeito que você não imaginou! O evento, de 11 a 15 de novembro, é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e é gratuito. De 9h às 22h, na Serraria Souza Pinto, em BH - MG.

O time da ciência é formado pelo pessoal do portal ScienceBlogs Brasil e do podcast Dragões de garagem. Cristiano Silvério Neiva, Gabriel Cunha, Luciano Lopes Queiroz, Luiz Bento, Patrick Simões Dias e Vitor Nascimento foram essenciais para a realização da exposição! Os desenhistas são Cris Bolson, Eduardo Pansica, Júlio Ferreira, Márcio Fiorito e Rodney Buchemi. As cores (“Flash” e “Mulher invisível”) são de Giovanna Guimarães. Além das novas versões, você verá a imagem clássica de cada personagem e informações sobre os conceitos e ideias que os nortearam. Ah! O Lucas Ed., nosso convidado, organizou e editou os textos da exposição.

A ciência sempre esteve presente no mundo dos quadrinhos e da ficção. Quando a Apolo 11 decolou rumo a lua, “Tintin”, o “Quarteto Fantástico” e tantos outros personagens e heróis já faziam suas viagens espaciais há um bom tempo. A linguagem científica sempre foi usada como um artifício de roteiristas e desenhistas para dar credibilidade e conferir realismo às suas histórias.

Nos anos 1950, em plena era nuclear, a radiação e a energia atômica serviam aos mais diversos fins nos quadrinhos. Desde fonte de poder aos heróis, como também transformar mulheres e homens pacatos, ou animais inocentes, em terríveis vilões. Não é à toa que você confere essa exposição inédita no FIQ. E que novembro chegue logo!

Página 1 de 3